• E-mail comercial@aleia.com.br
  • WhatsApp (21) 98753-8873

O que há de diferente em liderar líderes?

Anteriormente comentamos sobre o desafio da primeira experiência como líder. Hoje convidamos você a refletir um passo à frente de considerar os desafios de quem está em posição de liderar outros líderes.

O que muda na atuação, no dia-a-dia, na maneira de agir, de administrar o tempo e nos valores organizacionais, quando um líder passa a liderar outros líderes?
As diferenças começam pelo fato de que seus liderados são por sua vez, também líderes. Difere porque o comportamento de quem também lidera é, supostamente, de também dar exemplo, delegar, orientar, ouvir e trabalhar para o desenvolvimento do outro.
Esta é razão pela qual a suposição, de que os programas de desenvolvimento de liderança atendem as necessidades de ambos, líderes de primeira linha e também dos que lideram outros líderes, não é totalmente válida. Ou seja, um programa capaz de desenvolver as habilidades para o líder de primeira linha, não necessariamente se adequará a desenvolver aquele que lidera outros líderes, por ser um papel naturalmente mais significativo.

Existe uma diferença aplicação de habilidades, na gestão de tempo e visão de valores organizacionais para este nível de liderança em relação ao anterior e existe também um processo de transição que nem sempre é abordado.

Continuam importantes as habilidades de comunicação, de planejamento e de dar e receber feedback, mas neste nível de liderança há que se destacar a “Tomada de Decisão”, “Gestão de Desempenho”, “Construção de Times” e “Saber Quando Ser Diretivo”. Vamos aqui comentar cada uma destas:

Tomada de Decisão

Quando se trata de liderar líderes, não é apenas da questão do momento oportuno que estamos falando, mas também sobre a qualidade da decisão tomada.

Liderando outros líderes, os riscos são sempre maiores, por sempre existirem mais pessoas envolvidas e maior abrangência dos impactos das decisões.

Um outro fator relevante é que, por vezes, neste nível de liderança se faz necessário tomar decisões, mesmo sem se ter informações necessárias. Isto é um risco inerente da ascensão de carreira.

Líderes de líderes devem tomar boas decisões com base em uma mistura de análise, sabedoria, experiência e julgamento. Por isso a experiência é relevante.

Gestão de Desempenho
O resultado de desempenho de um líder neste nível é o conjunto de resultados dos líderes de primeira linha que a ele reportam. É importante então, que todos estejam cientes do nível de desempenho esperado nas suas funções.

Cabe o líder de líderes o incentivo a criação de um ambiente de trabalho onde as pessoas possam executar o melhor de suas habilidades, desta forma é também responsável por viabilizar as condições para que as metas sejam alcanças, seja provendo treinamentos, coaching, orientações e desafios.

Construir Times Efetivos
Já comentamos em artigo anterior, que a maioria dos líderes são alçados e líder de primeira linha, porque se destacaram como colaboradores individuais. Raros são aqueles que tiveram a oportunidade de fazer parte de uma equipe de alto desempenho.

Quando um líder tem em seu histórico a experiência de ter feito parte de uma equipe de alto desempenho, ele sabe o valor do resultado coletivo e irá promover isto.

O grande desafio do líder de líderes é justamente conduzir seus liderados a construírem suas equipes e transformá-las equipes de alto desempenho, sendo que nem sempre estes viveram esta experiência.

Neste caso, aqui estão nossas sugestões:

  • Inspire os seus líderes, seja para eles o líder que você gostaria que eles fossem!
  • Dê autonomia de decisão e realização, não agindo como se ainda fosse um líder de primeira linha. Mas acompanhe e se disponha a ajudar se assim necessitarem.
  • Não “atravesse” seus liderados comandando diretamente os subordinados a eles. Evite desautorizá-los.
  • Promova uma variedade de desafios enriquecendo a flexibilidade e adote uma atitude de aprendizado em relação a eventuais os erros.
  • Celebre e ensine a celebrar sucessos, fazendo com que todos participem da construção das equipes;
  • Promova o diálogo aberto para construir a confiança e a compreensão de que não irão alcançar individualmente tudo que podem alcançar coletivamente.


Saber Quando Ser Diretivo
Atualmente existem em média, cinco gerações convivendo no mercado de trabalho, cada qual com sua característica. Portanto é cada vez mais importante para o líder conhecer os estilos de liderança mais adequados para cada circunstância. O que se costuma chamar de Liderança Diretiva, pode parecer pouco aplicável, entretanto o mais importante é saber quando ser diretivo.

Em primeiro lugar é importante compreender que Liderança Diretiva, não é apenas direcionar especificamente as atividades, mas principalmente assumir os riscos da tomada-de-decisão.

Então fica a pergunta: Quando é necessário ser diretivo? Como saber reconhecer o momento de necessidade para agir com tal assertividade?
  • Quando a equipe é nova em uma tarefa, e precisa de uma direção clara.
  • Nos ambientes onde seguir regras é de grande importância, geralmente em áreas como conformidade, requisitos de saúde e segurança e qualidade.
  • Diante de situações em que uma tomada de decisão paralisada resultará em longos períodos de inatividade. Neste caso cabe o líder romper o impasse e fazer as coisas acontecerem.
  • Quando há um problema ou emergência e o tempo é escasso e decisivo. É aí que a liderança diretiva realmente se destaca!
  • Neste nível de liderança a alocação do tempo também muda para abrir espeço para dedicação ao planejamento organizacional, com visão de médio e longo prazo e a construção de sua linha de sucessão.
É na construção de relacionamentos, comunicação ascendente, descendente e lateral que o líder de líderes será desafiado, sendo solicitado a prestar insumos organizacionais aos seus pares e superiores, obtendo-os de modo oportuno de confiável de seus liderados.
Tornar-se líder de líderes é o segundo passo em uma jornada de desenvolvimento. Apenas mais uma etapa do caminho. Um caminho feito de curvas e eventualmente alguns retornos onde é importante reconhecer a necessidade de aprender com cada experiência seja negativa ou positiva.

Elizabeth Borges
Sócia Diretora Aleia