• E-mail comercial@aleia.com.br
  • WhatsApp (21) 98753-8873

O Desafio da 1a Liderança

Quantos desafios um profissional que inicia sua trajetória em liderança enfrenta?   
Quando um profissional atinge o grau de maestria e crescimento em sua atuação como parte de um time, ele se aproxima da passagem da condição de “Líder de Si Mesmo”, para condição de “Líder de Outros” e este é início da sua jornada em liderança.
Muitas organizações observam em seus profissionais a capacidade de ajudar os outros, colaborar com seus colegas de time, demonstrar responsabilidade e comprometimento com os valores organizacionais, com as políticas empresariais e as práticas da profissão. Porém, não são apenas estas a condições para transformar um excelente colaborar em Líder de Outros.  
As habilidades de comunicação, de planejamento e de dar e receber feedback são importantes. Podemos também destacar como habilidades decisivas para um Líder de Outros:   saber delegar e ser agregador.
Saber delegar é um dos grandes desafios do “Líder de Outros”. Uma das principais causas disso é que ao assumir um papel de liderança pela primeira vez, os líderes, geralmente, trazem em seu histórico profissional o hábito de fazerem muito por si próprios.

  • Aprender a delegar é a principal habilidade de transição que os profissionais devem exercitar quando deixam o papel de contribuinte pessoal no início de suas carreiras como líderes.
  • Saber delegar é compartilhar amplamente as responsabilidades, permitindo que os outros realizem seu próprio trabalho.
  • É também aprender a confiar que as pessoas podem executar suas tarefas. Só a confiança nos colaboradores deixará o líder confortável para delegar tarefas e decisões rotineiras.
Uma outra habilidade decisiva é “ser agregador”. Isto é:
  • Saber construir um time a partir de um grupo de pessoas com habilidades e características diversas, promovendo entre estas um espírito forte e alta moral;
  • Saber compartilhar vitórias e sucessos e incentivar o time a também o fazer;
  • Promover o diálogo aberto, permitindo que as pessoas concluam suas atividades e sejam responsáveis pelo seu próprio trabalho;
  • Definir sucesso em termos de toda a equipe e gerar a sensação de pertencimento para cada integrante;
  • Compreender que cada membro da equipe é diferente e lidar com cada pessoa de maneira adequada ao seu perfil e ao mesmo tempo, ser justo para com todos;
  • Ser capaz de transmitir confiança, adicionando alinhamento de foco, envolvendo cada membro da equipe.
Nem só de habilidades técnicas, cognitiva e emocionais se faz um líder! Existe também a necessidade de um alinhamento de valores organizacionais.
É no alinhamento de valores organizacionais que o novo líder será desafiado a assumir como valor primordial o conceito de “sucesso de time”.
  • Esta nova visão de valor organizacional precisa ser aprendida e os que estão habituados a produzir os próprios resultados devem a partir de então valorizar os resultados do outro.
  • Compreender que deverá valorizar a construção de time de trabalho. Esta é uma mudança fundamental, decisiva e exige desprendimento.
Além das habilidades, competências e alinhamento de valores organizacionais, o novo líder tem um terceiro desafio: Enfrentar a mudança radical de aplicação de seu tempo!
Mudar a alocação do tempo requer que o líder realoque seu tempo de modo que ajude e ensine os outros disponibilizando-se em postura de escuta ativa. Isto é:
  • Praticar a escuta ativa é se tornar um bom ouvinte. Bons ouvintes fazem muitas perguntas para chegar a um bom entendimento. Eles esclarecem as questões confirmando e fazendo mais uma pergunta.
  • A prática de escuta ativa, ajuda a não interromper antes que as pessoas terminem suas frases, não sugerir palavras quando os outros estão hesitantes ou param seus discursos momentaneamente buscando a palavra mais adequada para terminar a sua frase.
  • É respeitar o tempo de reflexão do outro, se tornando disponível.
Quando o líder de outros, compreende a necessidade de mudança alocação de tempo para destinar tempo aos outros, ele não se vê na sensação de vazio por não ter realizado ele próprio alguma tarefa concreta ao longo do seu dia. Ele compreende que realiza através dos outros!
Tornar-se líder de outros é apenas o começo. É importante lembrar que a cada etapa do caminho de liderança, requer mais autoconhecimento e que é necessário desprendimento é parte importante deste aprendizado.   

Elizabeth Borges,
Diretora Aleia