• E-mail comercial@aleia.com.br
  • WhatsApp (21) 98753-8873

Bem Vindo ao Mundo BANI

A fragilidade de cenários, traz a necessidade de mudança de hábitos referentes as abordagens de gestão de negócios. As mudanças são rápidas, e em no tempo de um "piscar de olhos" percebemos o fluxo das mudanças.

Três décadas depois do conceito VUCA, nos vemos diante de um novo momento, cujos impactos e características foram acelerados em 2020, que nos exige lidar com cenários frágeis e não lineares.

O mundo pós-VUCA é BANI (Brittle, Anxious, Nonlinear, Incomprehensible) no português (Frágil, Ansioso, Não Linear e Incompreensível).

Jamais Cascio apresentou este novo termo durante um evento no Institute for The Future (IFTF), em 2018. Em abril de 2020, em seu artigo publicado na www.medium.com , ele chamou a atenção para o fato de estarmos na era do caos, vivendo em uma sociedade que rejeita a estrutura de forma intensa, quase violenta.

Eu acredito que as estruturas foram rompidas, quer tenha sido pelas facilidades tecnológicas de comunicação, ou pelo acesso imediato as informações,  ou ainda pelo fato de que nossos meios pessoais e emocionais de reagir ao inesperado e às interrupções comuns, parecem cada vez mais ineficazes.

Que o mundo sempre enfrentou incerteza e complexidade todos já sabemos. Avaliando que o termo VUCA, foi cunhado na década de 1990, podemos calcular que já temos uma geração de adultos que nascerem em um mundo que já se sabia: volátil, incerto, complexo e ambíguo. Logo, passadas mais de duas décadas, já acreditávamos que havíamos incorporado os elementos culturais que nos permitiam lidar, se preparar e até ousar dizer que éramos “agentes de mudança”.  Porém a transformação é maior e, segundo James Cascio: _” usar o termo “VUCA” para descrever a realidade atual, nos fornece uma visão cada vez menor e declarar uma situação ou um sistema volátil ou ambíguo não nos diz nada de novo”.  

E como é natural, a forma para descrever o que ainda não existia, requer uma nova linguagem. para referenciar a escala das interrupções e do caos em curso. Sendo assim: "Bem vindos ao Mundo BANI!"

No Mundo BANI, onde a nossa sociedade e nossas tecnologias familiares deixam de ser familiares em questão de horas, onde as mudanças em curso não são familiares, mas disruptivas e desorientadoras. Para entender um pouco mais, vamos a cada uma das letras: 

“B” é para Brittle.

Quando algo é frágil, é suscetível a falhas súbitas e catastróficas. Sim, em um mundo de petabyte (PB), que é maior que um terabyte (TB), qualquer falha se torna catastrófica. Um mundo com existências de perfis em redes sociais com centenas de milhões de seguidores, e reprodução de informação de segundos, onde toda informação errada ou falsa, destrói a reputação de qualquer pessoa, marca, organização em segundos. Daí tudo desmorona.

O que é frágil é não-resilientes, às vezes até anti-resilientes. Um sistema frágil em um mundo BANI pode estar sinalizando o tempo todo que é bom, é forte, é capaz de continuar, mesmo que esteja à beira do colapso. Trabalha a imagem de ser resiliente e não a resiliência propriamente dita.  Então estamos constatando que sistemas frágeis não falham graciosamente, eles se estilhaçam.
  
“A” é para Ansioso.

A ansiedade traz consigo uma sensação de impotência, um medo de que não importa o que façamos, sempre há mais por fazer, por mais que aprendamos, sempre haverá mais por aprender. Por melhor que façamos, sempre haverá um competidor melhor. E vivemos no contexto onde sempre que apertarmos a tecla, ou o touch screen, sempre teremos uma atualização e uma notícia mais avassaladora, uma inovação, mais uma solução exponencial, mais concorrente surgido de onde não esperávamos. 

“N” onde é Não-linear.

Um mundo não linear, onde "causa e efeito" são aparentemente desconectados ou desproporcionais.

Os sistemas estão tão interconectados que muitas vezes não somos capazes de perceber que outros sistemas interfiram ou obscureçam o que observamos, e pequenas causas provoquem grandes efeitos.

Já havíamos comentador sobre os grandes efeitos das pequenas causas, em nosso blog anteriormente em: Ciclo de Transformação: Podemos começar com pequenas escolhas, publicado em nosso blog em setembro de 2019 ( https://www.aleia.com.br/blog/ciclo-de-transformao-podemos-comear-com-pequenas-escolhas )

Em um mundo não linear, os resultados das ações realizadas, não realizadas, ou procrastinadas,  podem ficar desconectados, retardados, desequilibrados. Pequenas decisões resultam em consequências enormes e muitas decisões importantes, podem não surtir o efeito esperado.

“I” porque, por muitas vezes é incompreensível.

Testemunhamos eventos e decisões que parecem ilógicos ou sem sentido, seja porque as origens são muito antigas, seja por um resultado retardado de uma causa, ou uma decisão tardia em um cenário que já se transformou em outro.

Muitas vezes, tentar encontrar respostas, simplesmente não faz sentido, até porque os fatos já se transformaram enquanto refletimos sobre as causas. Para Jamais Cascio “a incompreensibilidade é, com efeito, o estado final da sobrecarga de informações".

Precisamos estar preparados para atuar no mundo BANI, onde podemos nos depara com situações incompreensíveis e até mesmo caóticos. Leia o artigo de Jamais Cascio na integra em:   https://medium.com/@cascio/facing-the-age-of-chaos-b00687b1f51d

Nós nos desafiamos a suportar o desenvolvimento de profissionais que se aventurem nas soluções inovadoras, sejam receptivas as incertezas, tenham desprendimento e agilidade de resposta para liderar na paisagem de BANI.